quarta-feira, janeiro 23, 2008

magical pieces 27

este vai para C. e D. sempre a encherem-me os ouvidos: “ANDA NA TUA BICICLETA!”

caminhar:
1- aprecio a paisagem e páro sempre que quero tirar uma foto;
2- sinto o sol e a brisa leve;
3- trago para casa alguma pedra, semente ou folha interessante;
4- dou a volta ou salto por cima de um obstáculo sem preocupações;
5- cumprimento pessoas quando ando nos passeios da estrada;
6- chego a casa, sinto o meu sangue a correr nas minhas veias e analiso as fotos tiradas.

andar na minha bicicleta:
1- que paisagem? estou demasiado preocupada respirar oxigénio suficiente só para conseguir ao cimo da colina; não posso virar a cabeça, se o fizer, por alguma razão desconhecida a bicicleta vira também; a minha máquina fotográfica está na mochila, não vou parar cada cinco metros, tirar a máquina só para tirar foto a uma paisagem que não vejo e voltar a enfiá-la na mochila;
2- ya, estou quentinha por causa do esforço e o que sinto é vento na minha cara e se estiver com sorte, nenhum mosquito ou abelha vai acertar-me;
3- se trouxer algo, serão pedras, sementes ou folhas agarradas ao meu joelho e/ou cotovelo lembrando-me do momento em que caí...
4- aaaah! um obstáculo! o que faço? viro à esquerda? à direita? passo por cima? (todos estes pensamentos estão marcados no solo e vós podeis vê-los se por alguma razão vierem pelo mesmo trilho que eu) ok! saio e passo ao lado a pé segurando a minha bicicleta na mão;
5- pessoas? raios, mais obstáculos! o que faço? (mesmo pensamento do nº 4)... “Cuidado, por favor! Obrigada”;
6- chego a casa, respire fundo para um último esforço para carregar a minha bicicleta até ao 2º andar (sem elevador!!!), tento sentir as minhas pernas, tiro a máquina e vejo as fotos parvas que tirei enquanto parei tentando recuperar o fôlego para voltar a casa.

Nota:
-esta é uma das fotos parvas e aquelas duas coisas pretas no fundo são parte do selim da bicicleta.
- vejo 1 coisa boa: de bicicleta, chego aos lugares muito mais depressa. existem mais? digam-me...
:::::

this one goes to C. and D. always buzzing my ears: “RIDE YOUR BIKE!”

walking:
1- appreciate the landscape and stop whenever I want to take a picture;
2- feel the sun and the gentle breeze;
3- bring home some interesting stone, seed or leaf;
4- walk around or jump over an obstacle with no worries;
5- greet people when I’m on the sidewalks;
6- arrive home, feel my blood running in my veins and analyse the taken pictures.

riding my bike:
1- what landscape? I’m too worried breathing enough oxygen just to be able to arrive to the top of the hill; can’t turn my head, if I do, for some unknown reason my bike turns too; my camera is in my backpack, won’t stop any five metres, take it out just for a picture of a landscape I don’t see and pack it again;
2- yeah, I’m warm because of the effort and what I feel is wind against my face and if lucky, no mosquito or bee will hit me;
3- if I bring something, it will be the stones, seeds or leaves attached on my knee and/or elbow reminding me the moment I feel off…
4- argh! an obstacle! what shall I do? turn left? turn right? override it? (all these thoughts are traced on the ground and you can see them if for some reason you took the trail as I did!) ok! step off and walk by holding my bike;
5- people? damn, more obstacles! what shall I do? (same thought as #4)… “Attention, please! Thank you!”;
6- arrive home, take a deep breath for the last effort to carry my bike to the 2nd floor (no lift!!!), try to feel my legs, take out the camera and watch the lousy pictures I took while I paused trying to catch my breath to return home.

Note:
-this is one of the lousy pictures and those 2 black things on the bottom are part of the bike seat.
-I see 1 good thing: I get to places much faster on bike! are there more? tell me…


Enviar um comentário